quinta-feira, 30 de abril de 2009

Tourada

Bom, tourada é crime. É um crime de facto que não é de jure (ainda). Maus tratos a animais é crime. Não é preciso ser-se jurista, filósofo ou de outras especialidades de grande entendimento para reconhecer e aceitar isso. Mas é preciso um pouco de sensibilidade, eventualmente algum espírito de sacrifício e auto-sinceridade (isto, não só em relação a touradas mas em relação aos animais em geral).

Um dos argumentos que por vezes se ouvem contra os abolicionistas de touradas é que estes deviam também preocupar-se com outros animais que não aparecem na televisão. Argumento vazio e sem objectivo claro. É claro que qualquer activista de direitos dos animais se preocupa com um vasto leque de casos de abuso e selvageria em animais. Mas pelo menos duas razões para não dar tréguas à tourada me ocorrem. A tourada é um caso de gravidade exemplar na medida em que, ao contrário de lutas de cães e de galos (outros exemplos de diversão saloia) que ocorrem na clandestinidade, a tourada existe com a complacência de autoridades estatais. E depois, mesmo que haja alguém a defender a causa pelo politicamente correcto, tal eventualidade não é mais grave do que dessangrar um animal e dizer que aquilo não é o que é. Finalizando, e mesmo porque não há muito a dizer sobre tal assunto, é mais que óbvio que a tourada tem os dias contados. Um dia escreverei neste blogue uma mensagem de júbilo pelo fim de uma vergonha descarada.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comentar neste blogue

Qualquer internauta é bem-vindo a comentar. Comentários que não tenham nada a ver com o assunto em pauta, insultos gratuitos, etc... serão removidos. Obrigado por comentar!