domingo, 30 de agosto de 2009

Emigrantes portugueses

Embora não conheça o sentimento de um emigrante, pois nunca fui um, verto as minhas impressões do fenómeno.

Guardo viçosamente a liberdade de cada um de viajar ilimitadamente, mas emigrar não deixa de ser um gesto menos nobre para com a terra natal. Certas conversas de emigrantes soam a algo do tipo: "Gosto muito de Portugal, mas longe". Se é para fazer sacrifícios, porque não fazê-los em e por Portugal?

Por exemplo a questão da "fuga de cérebros". Em relação a certos casos quase que se pode dizer que os "cérebros em fuga" são uma espécie de mercenários. Porem os seus conhecimentos ao serviço de quem dá mais.

Se o país de origem não oferece oportunidades, há que envolver-se civicamente. Mudar o país. Melhorá-lo. Isto, partindo do princípio que se ama a terra natal.

2 comentários:

  1. Se fosse obrigatório as pessoas pensarem pelo menos, sei lá, meia hora, sobre um tema antes de o publicarem num blogue...

    ResponderEliminar
  2. Elucide-me, se faz o favor. É para isso que este blogue está aberto a comentários.

    ResponderEliminar

Comentar neste blogue

Qualquer internauta é bem-vindo a comentar. Comentários que não tenham nada a ver com o assunto em pauta, insultos gratuitos, etc... serão removidos. Obrigado por comentar!