terça-feira, 27 de outubro de 2009

Sonho Húmido

Perfume oriental
Fantasia tropical
Nos lençóis do relento
O sonho fomos nós
Poema suspenso
Ainda hoje aconteces

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Romance

De Faro a Melgaço
E o luso Atlântico
Pérola ibérica
Ocidental europeia
Semblante discreto
Deleite secreto
Eleita formosa
Assim te vejo
Mostras-me o mundo

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Inefável dádiva

Há coisas para as quais não há palavras que as descrevam. Ou não correspondem ao vislumbre ou não foram inventadas. E pode escrever-se um longo, belo e correcto poema, que apenas serve para colmatar a falta de adjectivos e expressões. Por vezes bastava uma palavra - se essa palavra existisse.

Sonho

Sonhei
Éramos só nós os dois
e o nosso amor
O mundo passava e eu nem reparava
Isso era vida.

Humor

Sob a capa do humor, ou de um suposto humor, pode esconder-se a maior vileza humana.

Escrita

Muita gente tem a mais que legítima paixão da escrita. Quanto a mim, apesar de ter iniciado um blogue (este), não morro de amores pela escrita, embora exalte em muito as letras aos números. Acontece que para mim a escrita é apenas um meio de transmitir algo. A escrita nem interessa, o que interessa é a mensagem, seja visual, sonora, etc..

Apenas uma visão pessoal.

Portugal

Da minha parte acho que o melhor que posso dizer de Portugal é que se de alguma maneira voltasse atrás no tempo e, sabendo o que sei, pudesse escolher o sítio onde nascia, escolhia Portugal.

domingo, 18 de outubro de 2009

Jazz

Fui eu ouvir o álbum de jazz mais vendido de todos os tempos - "Kind of Blue" de Miles Davis - a pensar que ia ficar apaixonado pelo jazz, mas afinal acho que prefiro música pimba.

Para mim o jazz é principalmente música de elevador, música ambiente. Não capto a onda, e se chego (penso eu) a captar não gosto do que capto. O jazz deve ser muito avançado para mim... Talvez apenas ainda não tenha descoberto o prazer do jazz. Parece-me algo sem princípio nem fim. Dispensável. Mas algum sentido deve ter. Muitos gostam.

Gosto de blues, ragtime e música clássica (entre outros géneros), mas não gosto de jazz.

Qual Diego, qual carapuça...

Eu gostaria de saber se, em Espanha, alguém estaria disposto a recorrer à justiça para poder chamar "Diogo" ao seu filho.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Volta ao mundo

Há algumas regiões (e alguns países em particular) do mundo que gostaria de visitar.

A minha prioridade é sem dúvida a Oceânia. Deslumbrantes ilhas do imenso azul Pacífico, como as Ilhas Salomão, mas em especial algumas da região da Polinésia.

Nas Américas começava pelo norte, Estados Unidos. Indo pela América Central chegava até à Nicarágua, em visita ao Lago Nicarágua. Caraíbas, Jamaica. Mais para sul não podia contornar a portentosa Floresta Amazónica, pela Colômbia e pelo Brasil, pois desejo experienciar climas equatoriais.

África. Botswana e o Delta do Okavango. A Tanzânia, com a Cratera do Ngorongoro, o Serengeti e o Monte Kilimanjaro. Por fim parava na Etiópia, a terra de origem do café.

Da Ásia gostaria de conhecer a Índia. Depois, para nordeste, o Japão. Continuando pelo Extremo Oriente descia para o sudeste asiático, ao Vietname, e admirava a Baía de Ha Long.

Aqui na Europa passava pela Irlanda, Suécia e Alemanha, pois também não me desagrada completamente cenários frios.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Maitê Proença

Este post intitula-se "Maitê Proença" mas apenas porque foi ela a protagonista do episódio que vai ser comentado. O assunto é o sentimento anti-luso provavelmente comum no Brasil.

O porquê da totalidade de tal sentimento não será de fácil deslinde, mas um factor da causa dos "anticorpos" contra os portugueses, que certamente pode ser tido em conta, é a falta de familiarização cultural com Portugal.

Como resultado e para simplificar; creio que nós (os portugueses) sentimos que o português brasileiro é a nossa língua, mas não creio que os brasileiros sintam que o português europeu é a língua deles.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Defeitos

Decidi enumerar alguns dos meus defeitos. Não vou escrever as qualidades porque o que me preocupa muito são os defeitos, e até porque algumas das minhas qualidades são exactamente o oposto dos meus defeitos.

Pelo menos uma vez na minha vida já fui assim:

Arrogante
Artificial
Cismador
Cobiçoso
Exagerado
Frio
Passivo-agressivo
Ressentido

Se me lembrar de mais algum defeito marcante em mim escrevê-lo-ei.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Viagens

Quando o desejado não está à mão embarcamos na nossa imaginação e passamos por muito. Até um dia podermos dizer que atravessámos séculos, épocas e estados de espírito, florestas, desertos e vales, montanhas e oceanos, atravessámos o tempo e atravessámos Deus - quando encontrarmos o que procuramos.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

sábado, 3 de outubro de 2009

Auto-estima nacional

Portugal em baixa auto-estima.

A considerar; bom índice de desenvolvimento humano e de qualidade de vida, e elevado índice de paz global entre mais alguns índices onde Portugal aparece bem classificado.

Se isto não é positivo e de louvar, o que será?

O que falta a Portugal é projecção e devido reconhecimento internacionais, mas não é a falta disso que me vai deitar abaixo a auto-estima. Só temos de aprender a pôr (e impor) Portugal primeiro em certas coisas. Porque maior do que o desejo de petencer a um país de topo, deve ser o desejo de que esse país de topo seja Portugal. Eu também quero pertencer a um país de topo. Mas quero que esse país de topo seja Portugal.

Prostituição/Pornografia

Não vou tentar conceituar prostituição e pornografia.

É importante esclarecer que pornografia não é sinónimo de prostituição. A produção de pornografia pode não envolver qualquer troca de favores artificiais para além da interacção de mútua vontade entre um casal (ou um grupo), o que não é de todo condenável.

Em relação à prostituição (pornográfica ou não) creio que é uma questão mais de fundo psicológico do que monetário. Acredito que alguns dos seus praticantes sabem que a dignidade não tem preço e que o dinheiro pode ser apenas uma desculpa para eles mesmos. Posto isto, é possível que alguns praticantes achem e/ou sintam que, ultrapassados certos limites, até o podiam fazer de graça.

Sexualidade

A sexualidade humana é condicionada, embora relativamente, pela religião. A não vivência sexual saudável pode causar grandes males sociais.

A impressão que eu tenho é que mesmo sem uma educação religiosa rígida, a vergonha do sexo, o sentimento de pecado, etc., são subjacentes à sociedade, algo que o ser humano capta no subconsciente.

Resta intrigar como seria o mundo antes do advento das religiões, especialmente das Abraâmicas. Talvez fosse diferente. Talvez fosse melhor, talvez fosse pior... Mas há futuro pela frente, e só cabe ao ser humano eliminar o pernicioso.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Mulher

Mais que força bruta
Uma pose feminina
Assim é a Mulher
Delicada, de esplendor
Confidente do sublime
Testemunha do essencial.

Respeito

Tanto quanto a minha submissão é a minha rebelião.

Justiça ou misericórdia?

Justiça é misericórdia.

Outono

O Outono dá-me uma sensação de protecção. Agasalho. Aconchego.

Cor

Por vezes vejo cores tão lindas, tão apelativas, que só me apetece mergulhar nelas de olhos abertos.

Desejo de morte

Noite Eterna
Rainha da minha vontade
Vem depressa tomar o teu lugar
A noite é tão curta...

Especial

Eu sou especial
E sou nada.

Verde

Verde é a origem do mundo
Verde é tudo
Verde é o invólucro e o conteúdo.

Religião

A Religião, no fundo, é apenas a tristeza humana de saber que se vai morrer.

Comentar neste blogue

Qualquer internauta é bem-vindo a comentar. Comentários que não tenham nada a ver com o assunto em pauta, insultos gratuitos, etc... serão removidos. Obrigado por comentar!