segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Constante da vida

A solitude (não usei a palavra solidão porque pode ser tomada apenas como uma coisa má) é talvez a única constante da vida.

Devido às características humanas, somos os únicos seres que estão realmente sozinhos na maneira de viver o mundo, de sentir. Podemos falar com outrem e partilhar experiências, mas sentir, só cada um é que sente. Podemos fazer tudo e ter a vida preenchida ao máximo, mas temos sempre um "fim do dia" interior connosco em todo o lado. É simultaneamente o que nos separa e o que nos liga, o que nos distingue e o que nos iguala.

Temos sempre alguém importante que ninguém poderá conhecer; nós mesmos. Creio que, reconhecendo isso, se torna mais compreensível a nossa dimensão e a dos outros.

sábado, 28 de novembro de 2009

O Sporting Clube de Portugal e a tourada

Em 2006 o Sporting festejou "em grande" os seus 100 anos de existência ao associar-se ao espectro anacrónico da tourada. Associação essa que se tem mantido a cada aniversário do clube.

Não sou grande entusiasta de desporto nem de futebol em particular, mas assumo-me como sportinguista, desde sempre e até ao fim (o que pode acontecer se deixar de ser do Sporting é deixar de torcer por clube algum).

Não estou familiarizado com a totalidade dos princípios desportivos, mas creio que a prática de desporto pretende elevar os valores da competição saudável, da saúde e do bem-estar, os feitos dignos, enfim, o melhor que o ser humano pode alcançar. O que tem o sangue, a dor, o martírio, a insensibilidade e até a inconsciência da tourada a ver com desporto?

Não acredito que a maioria dos adeptos verdes e brancos goste de ver o Sporting imiscuído em algo como a tourada. E se têm real aversão a "espectáculos" desses, acredito que lhes deve estar a custar pagar as quotas do clube. Para mim, mesmo não sendo sócio (mas a lutar por uma causa justa), e certamente para mais gente, este é um espinho cravado no amor pelo Sporting.

De hoje para amanhã a tourada é ilegalizada. E depois? Como é que fica o Sporting? Associado a tal miséria.

Caso único em Portugal, não sei se mesmo em Espanha algum clube de futebol estará associado a tourada.

Cabe um protesto mais veemente. Só espero que apareça algum dirigente ou quem de direito que se livre de tal mancha para a instituição que é o Sporting.

Que triste associação.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Casos de sida em Portugal

Diz a ONU que Portugal é o país da Europa Ocidental com mais novos casos de infecção de sida.

Como também tenho direito aos meus momentos de paranóia, indago cá para comigo se esses relatórios pouco abonatórios não servirão alguns interesses obscuros.

Se não me engano, já para aí desde os anos 90 (do passado século) que ouço dizer que Portugal é um dos países europeus com mais alta taxa de infecções dessa doença.

Não estou a dizer que isso é um mito, e claro, máximo cuidado em novas relações, mas não acredito que as coisas sejam como a ONU diz.

Desconheço por completo a realidade dessa doença, e não me baseio em nenhumas "suspeitas científicas", digamos assim, mas algo me diz que o caso não é tão mau como o pintam. Ainda para mais quando as autoridades portuguesas no assunto não revêem o país nos resultados apresentados.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Violência passional

Números negros, perfeitamente escusados.

Como em tudo, nem todos os casos serão lineares. Haverá uma ínfima percentagem de casos destes que resultam não só do defeito de uma das partes, mas de grande desgaste e competição psicológica. Nada justifica a eliminação física de um dos contendedores (porque há remédio para tudo, menos para a morte), mas também é facto que não se consegue quantificar (nem qualificar) rigorosamente um dano psicológico. Sabe-se lá quantas "mortes psicológicas" ocorrem antes de ocorrer uma morte física.

Mas parece claro que na grande maioria dos casos trata-se de sentimentos de posse, ciúme, etc., por parte do homem. Enfim, padecimento mental.

Como homem, só posso dizer que esses casos me deixam envergonhado. Um homem que agride, persegue e controla, só está a fazer figuras de palhaço e a envergonhar o género masculino.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

A Verde e Rubra

A Verde e Rubra já ondeia sob os céus do continente ébano.

O meu agradecimento a toda a equipa portuguesa, não só pelo apuramento (que até foi fácil, contra uma equipa de baixa qualidade) mas também por terem escutado as ofensas dirigidas a Portugal e terem sentido a pressão de tal ambiente. Não estiveram sozinhos. As ofensas foram a todos os portugueses. E por falar nisso, não parece desadequado esperar consequências da falta de profissionalismo dos bósnios-herzegovinos em toda a operação play-off na terra deles.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

A Besta dos Balcãs

Não são só coisas boas que unem um povo. São também coisas destas que aproximam (ou deviam aproximar) compatriotas.

Pelo menos fair play não houve. Só por isso, alguma consequência, a algum nível, se deve tirar deste tipo de ocorrência.

domingo, 15 de novembro de 2009

Música

Ontem vi e ouvi no Top+ uma versão (por Jacinta) da Redemption Song do Bob Marley. Eu adoro música, e diria até que a música tem vida própria. O gosto é subjectivo, mas acredito que um dos maiores presentes que se pode deixar à Humanidade é uma boa canção.

Chá de laranja

Hoje provei pela primeira vez chá de laranja. Toda a minha vida bebi chá de limão (outro citrino), mas só há pouco tempo me lembrei de experimentar chá de laranja. É bom.

Publicidade desregrada

Durante os jogos da Selecção Portuguesa de Futebol vê-se na assistência pessoas a agitar umas bandeirolas de plástico (parece-me) estampadas de um lado com o desenho da bandeira portuguesa e do outro com o logótipo da TMN. Aconteceu uma coisa semelhante quando, por ocasião do Campeonato do Mundo de 2006, o jornal Expresso conjuntamente com o banco BES distribuíram bandeiras de Portugal adulteradas ao público. Publicidade não me incomoda particularmente, mas isto ultrapassa o âmbito da publicidade.

Tomando o caso mais recente como exemplo; fico sem saber se estão a apoiar Portugal ou a apoiar a TMN. É uma nação que está ao nível de uma empresa ou é uma empresa que está ao nível de uma nação. Está Portugal ao nível de uma coisa que se compra e vende? É disto que no fundo se trata.

Não sei se algo semelhante tem lugar noutros países, mas se não há a consciência de fazer a simples distinção entre o imaterial e o material, ou há aproveitamento de legislação débil em relação aos símbolos de uma nação, não estamos a ir bem. Prioritário ou não, é um assunto a tratar.

domingo, 8 de novembro de 2009

Laicismo

Silvio Berlusconi, tão mal visto que tem andado aos olhos da opinião pública italiana e do Vaticano (escândalos sexuais e de corrupção), agarrou aqui (na sequência disto) a oportunidade perfeita para cair nas boas graças de quem o tem vindo a criticar e eventualmente manter o seu estatuto, actualmente ameaçado, no poder.

Diz, Silvio Berlusconi, que muitas bandeiras da Europa também contam com símbolos religiosos, e pergunta se também devem ser alteradas as bandeiras.

Uma bandeira não é um símbolo exclusivamente religioso. E nem vale a pena entrar em campanha para retirar todo e qualquer símbolo religioso de uma bandeira, pois também não se pode apagar partes da história de um país. Se bem que a Humanidade deve cada vez mais libertar-se de fortes influências religiosas.

No caso de Berlusconi, esta atitude de desafiar o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, só pode ser uma de duas coisas; hipocrisia, ou o já referido apego ao poder.

Não condeno a vida pessoal de Berlusconi (nem de ninguém), mas certos comportamentos sociais de Berlusconi vindos a público não são compatíveis com o fantástico ideal religioso. Posso aceitar algumas indiscrições sexuais, mas nunca aceitarei que se continue a alimentar a fantasia que é a Religião.

Pode haver ainda um terceiro motivo; uma real simpatia pela ideia religiosa. Mas, lá está, aí só o reconhecimento da perniciosidade de tais ideais exaltados, e consequente esforço de libertação pessoal, podem resolver estes impasses.

Universidade Bandeirante de São Paulo

Primeiro aconteceu isto: Universitária insultada por causa de vestido curto.

Depois aconteceu isto: Uniban expulsa aluna vítima de violência.

Dizem que ela provocou... É incrível o poder que uma mulher tem. Mesmo sem querer, a Mulher domina o mundo ao trono da subtileza.

Gostaram de ver, e foi assim que agradeceram. Ainda por cima, já li por aí que a jovem sempre foi uma pessoa trabalhadora. Sem mais comentários...

Manowar

Eu gosto de rock, metal e tudo mais. E por vezes ouço Manowar. Até nem é a música que mais me impressiona. É a parte vocal. O homem, sozinho, dá o espectáculo! Especialmente ao vivo!

Existências

Para algumas pessoas a vida foi um sonho. Sonharam, um dia, poder viver.

Amor

Quando te seguro a mão e te peço para dares uma volta sobre ti mesma, não é isso que acontece. É o mundo que gira à tua volta.

sábado, 7 de novembro de 2009

Cintilam os Olhos da Noite

Pinta-te de luar
A Lua a brilhar
Palpam as minhas mãos
Suaves contornos
Finos tornozelos
Macios cabelos

Na minha mente fervilhas
E perco-me nas tuas virilhas

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Boas acções

Gostei de ver isto: Presos defendem guarda atacado por recluso.

Depois do mal que certamente fizeram, tal acto foi o melhor que podiam ter feito. O mal que já fizeram não pode ser revertido, mas num rasgo de optimismo acredito que se possam redimir. Possivelmente sentirão o bem que fizeram, e dessa forma compreenderão o respeito ao próximo.

Inimputabilidade

Autora de homicídio com ácido absolvida pelo tribunal.

As perícias à mente são talvez a aspiração máxima à Justiça. Receio é que a análise a algo, em essência, abstracto ou subjectivo seja especialmente sensível a idealismos.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Artifícios

Não gosto nada de artificialidades do tipo: silicone nos seios, nos lábios e outras que tais. Realces sim, mas naturais. Na minha perpectiva tem todo o valor (e é muito mais excitante) o que é nato.

Aceita-se os casos de cirurgias por questões de saúde, claro (se bem que as cirurgias estéticas são por vezes casos de saúde psicológica).

Estas questões, realmente, têm forte componente psicológica.

Mal para desistir, mal para continuar

É possível que, já nos tempos que correm, mesmo países como a França ou a Alemanha, já não tenham muito peso individualmente no plano internacional. Investiu-se muito na União Europeia. Espera-se que funcione.

Sobre: notícia do Público.

Comentar neste blogue

Qualquer internauta é bem-vindo a comentar. Comentários que não tenham nada a ver com o assunto em pauta, insultos gratuitos, etc... serão removidos. Obrigado por comentar!