domingo, 8 de novembro de 2009

Laicismo

Silvio Berlusconi, tão mal visto que tem andado aos olhos da opinião pública italiana e do Vaticano (escândalos sexuais e de corrupção), agarrou aqui (na sequência disto) a oportunidade perfeita para cair nas boas graças de quem o tem vindo a criticar e eventualmente manter o seu estatuto, actualmente ameaçado, no poder.

Diz, Silvio Berlusconi, que muitas bandeiras da Europa também contam com símbolos religiosos, e pergunta se também devem ser alteradas as bandeiras.

Uma bandeira não é um símbolo exclusivamente religioso. E nem vale a pena entrar em campanha para retirar todo e qualquer símbolo religioso de uma bandeira, pois também não se pode apagar partes da história de um país. Se bem que a Humanidade deve cada vez mais libertar-se de fortes influências religiosas.

No caso de Berlusconi, esta atitude de desafiar o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, só pode ser uma de duas coisas; hipocrisia, ou o já referido apego ao poder.

Não condeno a vida pessoal de Berlusconi (nem de ninguém), mas certos comportamentos sociais de Berlusconi vindos a público não são compatíveis com o fantástico ideal religioso. Posso aceitar algumas indiscrições sexuais, mas nunca aceitarei que se continue a alimentar a fantasia que é a Religião.

Pode haver ainda um terceiro motivo; uma real simpatia pela ideia religiosa. Mas, lá está, aí só o reconhecimento da perniciosidade de tais ideais exaltados, e consequente esforço de libertação pessoal, podem resolver estes impasses.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comentar neste blogue

Qualquer internauta é bem-vindo a comentar. Comentários que não tenham nada a ver com o assunto em pauta, insultos gratuitos, etc... serão removidos. Obrigado por comentar!