sábado, 4 de setembro de 2010

Sub-humanidade

A propósito de umas declarações radicais de Morrissey na sequência de casos como estes, certamente, devo dizer que também eu já tinha reparado na desumanidade para com animais naquela parte do mundo (Extremo Oriente).
Como exemplo posso apontar um restaurante chinês que serve peixe frito vivo.
Alguém me diga qual é o motivo de comer um animal ainda vivo se não apenas o sadismo.

O que distingue o Homem do Animal é o que se passa no cérebro humano. A moral, o espírito crítico, a auto-consciência, o conhecimento do bem e do mal e o respeito por uma sociedade entre muitas outras coisas distintas.

Apesar de o Homem ser um animal racional pode também agir irracionalmente; em casos de emergência, por medo, raiva, doença, etc..

Portanto a racionalidade, especialmente nas virtudes da benvolência e da temperança aliadas à auto-percepção de si mesmo no mundo e na interacção com os outros seres vivos inferiores, deve ser preciosamente cultivada pelo ser humano pois é realmente a única coisa que o distingue dos animais.

Conclui-se, assim, que o Homem que não faz uso daquilo que o distingue do Animal não passa de uma carcaça biologicamente humana.

Da mesma maneira, não há nada pior à face desta Terra do que usar a inteligência para o mal.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comentar neste blogue

Qualquer internauta é bem-vindo a comentar. Comentários que não tenham nada a ver com o assunto em pauta, insultos gratuitos, etc... serão removidos. Obrigado por comentar!