domingo, 21 de novembro de 2010

Portugal anfitrião

Eu vejo Portugal como uma terra de índole conciliadora e apaziguadora.

Portugal tem tudo o que os outros países têm; boas e más pessoas, boas e más condições meteorológicas, criminalidade, caridade e todo um rol de mais qualidades e defeitos.

A diferença, parece-me a mim, é que prevalece a tranquilidade, a cordialidade e um ambiente de concórdia. Para alguns estrangeiros mais habituados a conflitos nas suas vidas políticas (internas e externas) Portugal pode ter o gosto de porto seguro, de oásis.

A organização foi impecável e o resultado foi o sucesso do evento, mesmo que a OTAN não tenha lugar num eventual futuro mundo desarmado.

Não assisti de perto à cimeira, e muito menos a partir de dentro. Mas pelo que percepcionei através dos media creio que não podia ter corrido melhor.

Não nos esqueçamos que apesar de, aparentemente, não estarmos na mira de nenhum mal maior a salvaguarda do país não dorme. Lembremo-nos, pois, de todas as forças de segurança - militares, policiais, secretas e outras - que, enquanto fazemos a nossa vida, não baixam nem podem baixar a guarda 24h por dia/365 dias por ano, pois do futuro não sabe o que se pode esperar.

A propósito do fim dos trabalhos da Cimeira da OTAN.

1 comentário:

  1. queres ver que o Irão ainda manda pá'qui um balázio. É preciso estar sempre à espreita não vá algum àrabe tecê-las.

    ResponderEliminar

Comentar neste blogue

Qualquer internauta é bem-vindo a comentar. Comentários que não tenham nada a ver com o assunto em pauta, insultos gratuitos, etc... serão removidos. Obrigado por comentar!