quarta-feira, 29 de junho de 2011

Quando eu morrer

Quando eu morrer não tenho nenhum desejo pessoal que queira que se cumpra. Não quero saber se serei enterrado ou cremado. Não vou ver nada nem sentir nada. Por isso projecto os meus desejos nos que me sobreviverem.

Compreensivelmente, sobre uma morte, não haverá muita vontade de festa. Mas espero que, pelo menos, tenham em consideração passar um bom bocado com música bem alta e o que for mais prazeroso.

Era o que gostaria de ver. Boa onda e boas vibrações. É o que desejo para mim e para toda a gente.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comentar neste blogue

Qualquer internauta é bem-vindo a comentar. Comentários que não tenham nada a ver com o assunto em pauta, insultos gratuitos, etc... serão removidos. Obrigado por comentar!